terça-feira, 28 de outubro de 2008

A Derrota de Paes

Pronto, chegou um texto da Cora Rónai que é justamente o que eu tava precisando publicar aqui:

Abrindo mão das próprias convicções (se é que um dia as teve), aliando-se ao que há de mais podre no estado, gastando rios de dinheiro, jogando sujo, usando descaradamente a máquina estadual, federal e universal, beneficiando-se até de um feriado mal intencionado, enfim, com tudo isso, Eduardo Paes só conseguiu ganhar de Gabeira por 50 mil míseros votos. Como vitória política, já é um resultado extremamente questionável; mas do ponto de vista pessoal, é uma derrota acachapante.

Eduardo Paes levou a prefeitura, sim, mas de contrapeso ficou com uma quadrilha de aliados que não deixa nada a dever àquela que ele acusava o presidente Lula de comandar. Vai ser prefeito, sim, mas vai ter de arranjar boquinhas para o Crivella, para o Lupi, para o Piciani, para a Clarissa Garotinho, para o Roberto Jefferson, para a Carminha Jerominho, para o Babu, para o Dornelles, para a Jandira... estou esquecendo alguém?

Conquistou um cargo, é verdade, mas conquistou também o desprezo mais profundo de metade do eleitorado.

Em compensação, como carioca, perdeu a chance de viver um momento histórico, em que a prefeitura seria, afinal, ocupada por um homem de bem, com idéias novas e um novo jeito de fazer política; perdeu a chance de ver o Rio de Janeiro sair do limbo a que foi condenado nas últimas décadas, e ganhar projeção pela singularidade da sua administração.

Se Gabeira tivesse sido eleito prefeito, o Rio, que hoje não significa nada em termos políticos, voltaria a ter relevância, até pelo inusitado da coisa. Um prefeito eleito na base do voluntariado, do entusiasmo dos eleitores e da vontade coletiva de virar a mesa seria alguém em quem o país seria obrigado a prestar atenção.

Agora, lá vamos nós para quatro anos de subserviente nulidade, quatro anos em que o recado das urnas será interpretado, pela corja que domina esta infeliz cidade, como um retumbante "Liberou geral!"
Nojo, nojo, nojo.

4 comentários:

Luiz Guilherme disse...

Querida Adriana

Gabeira foi o grande vencedor dessas eleições, qual a lição que ele deixa? Que é possível ser limpo, transparente, fazer o jogo político sem deixar-se contaminar pelo ambiente inóspito. Foi vencedor porque mesmo com a utilização infame da merenda escolar para alimentar seus lacaios bocas de urna, mesmo sendo vítima de um feriado torpe do funcionalismo público, onde um milhão deixaram de votar, mesmo com os panfletos apócrifos distribuídos com o dinheiro do contribuinte, mesmo com todas as coalisões, onde princípios são negociados em função de cargos, digo: Gabeira venceu. E colocou um elemento novo que vai dar muita dor de cabeça aos "profissionais da política", e qual é o elemento novo? É possível jogar limpo e ter votos, é possível ser autêntico, sincero e ter votos. Estou feliz, pois mesmo "perdendo" por 50 mil votos, sua voz e a dos que o apoiaram continuam vivas.
Quanto ao novo prefeito o que dizer? Um fisiológico, muda de partido como muda de time, afinal ele era Fluminense e virou vasco. Um fraco, foi o vencedor, mas tem o pensamento de um escravo .

Somos vencedores !!!!


Abração


Luiz Guilherme

Elma PDT disse...

Nao sou defensora do Lupi, mais sou uma defensora do PDT, quero dizer que o Lupi nao negociou cargos apenas colocamos nossas politicas do partido para os candidatos o unico que quiz conversar com a instituição da qual eu faço parte e que ja fez muito pelo o Estado e tambem pela Cidade foi o Sr. Eduardo Paes,e nos do PDT nao negociamos cargo agora a gente so avança quando realmente conseguimos fazer parte de algo para atender essa populaçaõ que tanto precisa e nunca no isolamento conseguiremos avançar. Respeito todas as opiniões mais precisamos aprender a falar desse Partido que tanto eu me orgulho e sei que foi sempre muito injustiçado. Vamos aprender a cobrar isso é Democracia. Obrigada pela oportunidade de poder expresar a minha opinião. Elma

Adriana Pinheiro disse...

Elma, que bom que vc visitou! Quanto ao PDT, acho apenas que foi citado por Cora Rónai como um dos partidos que apoiou a candidatura do Paes. Se o novo prefeito convidá-los para revitalizar os Cieps do município, já seria uma grande contribuição. Vc bem sabe que algumas pessoas se transformam depois de eleitas, se fechando em seu mundinho de puxa-sacos, regalias e vinhos caros, tornando-se inimigos daqueles que o ajudaram a chegar lá. Eu não acho que seja a mordida da mosca azul, acho que é falta de caráter mesmo. Aliás, esse tipo de traição já ocorreu com o PDT escancaradamente.
Paes não escolheu seus aliados por afinidade política, ele só queria ganhar a qq preço.
Beijo e saudades

Adriana Pinheiro disse...

Luiz Guilherme, adorei qdo vc diz que o cara tem o pensamento de um escravo! Grande sacada! beijo e valeu a visita!