sexta-feira, 18 de julho de 2008

A Lua no mapa natal

As pessoas normalmente falam o seu signo (posição do Sol) e o signo ascendente, deixando de fora o signo da Lua. Dizer onde está a lua no mapa natal entrega muito sobre quem somos intimamente... Em homenagem ao nome desse blog e à lua cheia do mês de aniversário dos cancerianos, aí vai um resumo sobre o significado dela no mapa natal:

O signo, aspectos e casa da Lua natal descrevem a fonte de nutrição mais básica do indivíduo, como ele é na intimidade, na sua casa, como foi seu passado, sua família, sua infância. Altamente ligada ao feminino (anima), representa o nosso lado yin, as necessidades emocionais, a sensibilidade e mutabilidade, energia receptiva, passiva, reflexiva que rege as nossas emoções e reações.

Por ser o “planeta” mais próximo da terra, a Lua completa seu ciclo zodiacal aproximadamente a cada 28 dias (ciclo menstrual), alterando, com seus ciclos, o fluxo das marés, os partos e concepções, e o plantio e colheita de alimentos. O corpo humano, à semelhança da Terra, é constituído por cerca de 80% de água, e está sujeito às “marés biológicas”, que resultam em mudanças de humor e transbordamentos da energia emocional. A influência da Lua sobre o comportamento humano tem sido objeto de muitas crenças e folclores (como o do Lobisomem). O termo “lunático”, por exemplo, descreve precisamente esse tipo de transbordamento emocional.

Na mitologia, a Lua é a Grande Mãe, representante do matriarcado. Deusas regentes do lar e da família, como Hera; da vida selvagem e das feras, como Ártemis; da fartura de alimentos, da fertilidade, e de toda a vida na Terra, como Deméter e Gaia; dos mistérios do útero, do nascimento e da morte, e, em sua face mais oculta ou obscura, deusas feiticeiras como Hécate ou Circe, ou mesmo Perséfone; todas deusas lunares. Representações lunares estão associadas às tríades, numa alusão às fases da lua, (a quarta fase sendo oculta). Tudo tem o seu ciclo: o impulso criativo, a vida familiar, os relacionamentos, a própria história. Tudo passa e volta a passar, como uma grande ciranda, e “não há nada de novo sob o Sol”, porque a Lua já fez tudo antes. As fases da Lua representam a vida orgânica em todo o seu ciclo: concepção, gravidez, nascimento, infância, puberdade, maturação, envelhecimento e morte.

É fácil idealizar a consciência lunar, até como contraponto a tanto poder destrutivo contra a natureza gerado por excesso de racionalidade e vontade (Sol). No entanto, é preciso trabalhar com os opostos em harmonia, pois o excesso de consciência lunar reprime o valor da expressão individual em prol da tribo, ou da família. Permanecer em consciência lunar significa não crescer, não se diferenciar, não se individuar. Muitos empregos estáveis e enfadonhos e relacionamentos insatisfatórios e sufocantes operam com o princípio lunar, sacrificando o crescimento do indivíduo pela segurança que provêm. Por outro lado, dá para se ter um panorama do que acontece quando somos de tal forma dissociados da nossa ligação com a Lua (anima) que negligenciamos as necessidades do corpo e, num plano mais coletivo, depredamos a Terra e destruímos a natureza. Sem os cuidados necessários, adoecemos.

Ter consciência dos nossos conflitos e nossas necessidades ajuda demais a estabelecer uma melhor relação com a nossa “criança interior”, principalmente se nos tornarmos a “Grande Mãe” responsável por ela, cuidando para que esteja minimamente nutrida; sem depositar no outro a responsabilidade total de cuidá-la. Afinal, a Lua é, fisicamente, cheia de crateras e não há relação íntima, emprego ou o que seja que possa cuidar do preenchimento de todas elas.

Referências Literárias:
Os Luminares – Liz Greene e Howard Sasportas
Ciclos Astrológicos e Períodos de Crise – John Townley

5 comentários:

Bia Casotti disse...

Brilhante o seu texto amiga. Amei!!!!
Que interessante a analogia dos nossos buracos emocionais com as crateras da Lua....

Walmor Pamplona disse...

Parabéns! Gostei foi da citação às deusas gregas... Bjs

Adriana Pinheiro disse...

:)

Walmor Pamplona disse...

Quando puder, por favor, fala sobre taurinos que têm a lua em touro tb... Bjs

Adriana Pinheiro disse...

ô Walmor, atentendimento assim, personalizado, só com hora marcada! beijos