terça-feira, 26 de maio de 2009

Viver despenteada

Recebi esse texto por email e quis imediatamente compartilhar com vocês. Adorei o texto! Primeiro, porque sempre vivi meio despenteada e a idenificação foi imediata! Segundo, porque acho muito chato essa coisa de todas-as-mulheres-iguais-com-escova-progressiva ou seria escova obsessiva? (Ainda bem que a moda dos cabelos lisíssimos já passou.) Desconheço a autoria do texto, pesquisei na internet e encontrei um blog (muito bacana, por sinal) que o havia publicado http://andorinhaquevoa.blogspot.com/2009/03/viver-despenteada.html


Aí vai:
O mundo está louco, definitivamente louco... O que é gostoso, engorda. O que é bom, custa caro. O sol que ilumina o teu rosto, enruga. E o que é realmente bom dessa vida, despenteia...
- Fazer amor, despenteia.
- Rir às gargalhadas, despenteia.
- Viajar, voar, correr, entrar no mar, despenteia.
- Tirar a roupa, despenteia.
- Beijar a pessoa amada, despenteia.
- Brincar, despenteia.
- Cantar até ficar sem ar, despenteia.
- Dançar até duvidar se foi boa idéia colocar aqueles saltos gigantes essa noite, deixa seu cabelo irreconhecível...

Então, se quando nos encontrarmos, eu estiver com o cabelo despenteado, pode ter certeza que é porque estou passando por um momento feliz da minha vida. É a lei da vida: a mulher que anda no primeiro carrinho da montanha russa sempre vai estar mais despenteada do que aquela que preferiu não subir.

Pode ser que me sinta tentada a ser uma mulher impecável, penteada e engomada por dentro e por fora. O anúncio dos classificados deste mundo exige boa aparência: penteie o cabelo, coloque, tire, compre, corra, emagreça, coma coisas saudáveis, caminhe direito, fique séria...

E talvez devesse seguir as instruções, mas quando vão me dar a ordem de ser feliz? Por acaso não se dão conta que para ficar bonita eu tenho que me sentir bem... A pessoa mais bonita que posso ser!

O que realmente importa é que, ao me olhar no espelho, veja a mulher que devo ser. Por isso, minha recomendação à todas as mulheres (e também aos homens): entregue-se, coma coisas gostosas, beije, abrace, dance, apaixone-se, relaxe, viaje, pule, durma tarde, acorde cedo, corra, voe, cante, arrume-se para ficar linda, arrume-se para ficar confortável, admire a paisagem, aproveite, e acima de tudo, deixe a vida te despentear!!!

O pior que pode acontecer é que, rindo, frente ao espelho, você precise se pentear de novo...



Mafalda (Quino)

E, para aquelas que estão desesperadamente precisando se despentear, recomendo urgente a leitura de Mulheres que Correm com os Lobos de Clarissa Pinkola Estés, uma espécie de bíblia da minha vida.

10 comentários:

Anônimo disse...

adorei , eu sou uma que não uso escova nem pente, perdi este hábito no meu longo período de cabelos curtíssimos , hoje só penteio quando lavo e só.sempre achei um horror a tal da progressiva e suas derivações.
viva os despenteados!!!!!bj Dri

Anônimo disse...

tb estou sempre descabelada... será que sou feliz?

Anônimo disse...

vcs não sabem o valor que tem uma mulher bem penteada... bjs

Renata disse...

AMEI ! AMEI ! AMEI !
identificação 1000% !!!
bjocas,
Re

Anônimo disse...

Adorei e tenho que assumir que tb estou sempre despenteada! Mas feliz!!!
Muitos beijos Dri e obrigada pela oportunidade dessas leituras.
Robertinha

Mari COtrim disse...

As descabeladas que me perdoem, mas se pudesse beijava quem inventou a escova obsessiva!!!
Muitos beijos Dri

Adriana Pinheiro disse...

Nada contra a escova, estava me referindo à pasteurização das mulheres, a ficarem todas iguais... Acho que o "descabelada" do texto tem a ver com levar a vida mais livremente, independente do penteado. beijos e obrigada pela visita!

Bia Monteiro disse...

adorei !!! despentear e fluir...bjcas Bia

é assim disse...

Adriana

Ao final do post você falou em "Mulheres que correm com lobos" de fato uma leitura indispensável para mulheres!

Quanto ao texto postado a vida é bem isto mesmo!

Exatamente o DESPENTEAR, fala-se do desprendimento, da desalienação, de ser feliz com o que a vida se nos apresenta no momento! sem complicações e prazer...

Quanto a autoria do texto que você postou é de MARTHA MEDEIROS, jornalista, cronista e poeta gaúcha.

Como diz Sá Luiza, no alto dos seus 106 anos, mulher simples, mas de muitas observações, benzedeira do vale Jequitinhonha entrevistada por Leila Ferreira, disse-lhe:
— "Da vida eu rapo é tudo!"
Leila Ferreira continua em suas conversas, desta feita com Mario Sergio Cortella:
... Vida vivida com mais leveza e simplicidade.
“Vida leve não é vida fácil nem superficial. É vida simples”,
“E simples não quer dizer pequeno, banal ou simplório.
Simples é aquilo que é menos desgastante, que não esgota nossa energia." (No livro "A arte de ser leve" da Leila).

Felicidades!

Adriana Pinheiro disse...

Olá, obrigada pelo comentário e por dar esclarecer que trata-se de um texto da Martha Medeiros, gosto muito do que ela escreve!
Adorei as colocações sobre a simplicidade!
um beijo